domingo, 18 de novembro de 2007

Filme: Mentes que brilham


Hoje à tarde olhei esse filme e fiquei encantada. Muito bom mesmo!!! Foi possível perceber a relação em que as nossas necessidades se estabelecem. Em o quando nada importa quando não temos afeto, carinho. Aprendi que as oportunidades podem vir, mas que não podemos deixar de dar importância às nossas origens, à nossa família, que é a base de tudo.


Veja a seguir um resumo da história:
Fred Tate é um sobredotado que vive com a sua mãe Dede Tate, uma empregada de mesa, que se esforça para o educar como uma criança normal, mas que apesar de tudo não o consegue integrar num meio que facilmente marginaliza todos aqueles que se mostram diferentes.
Recorre então a Jane Griersm uma psicóloga directora de uma escola para sobredotados, que se deixa maravilhar pela inteligência e sensibilidade de Fred e que decide escrever um livro sobre ele. Jane pede então a sua guarda a Dede, por um Verão, alegando que Fred poderá assistir a um curso universitário enquanto ela o observa.
Neste período de afastamento da sua mãe, Fred descobrirá que toda a sua inteligência não significará muito sem ninguém que o ame e acarinhe com a uma criança normal.

3 comentários:

Simone disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Simone disse...

Oi Natália, ao ler tua postagem fiquei curiosa para saber quais as cenas/situações do filme que mais contribuiram para as aprendizagens que relataste e o quanto o filme te fez pensar na tua prática docente. Outra coisa, seria interessante colocares a referência do site ou local de onde retiraste o comentário do filme. Abração, Sibicca

Rafael Rego disse...

Adorei esse filme.
O menino é super-dotado, mas tudo que ele quer é ser uma criança normal, não um nerd chato. Soub e escolher e dar mais valor àquilo que realmente interessa.
GRande filme.